O que é Design e como ele melhora tudo em uma empresa?

Por Pedro Renan

É muito comum as pessoas terem uma compreensão limitada sobre o que é design. Afinal. Esta palavra é pronunciada com tanta frequência e em tantos contextos que acaba perdendo até sua relevância.

Mas não deveria ser o caso. O design é uma das disciplinas e campos de estudo mais requisitados hoje em dia, nas mais diversas áreas: da arte e do entretenimento até a produção industrial e os avanços tecnológicos mais arrojados, o design sempre estará presente. 

o-que-e-design

 

Pense comigo: é impossível mandar um foguete para o espaço sem um designer (ou vários) contribuindo de alguma forma neste projeto.

Se você ficou espantado com esta afirmação, talvez seja porque entendo o que é design como a arte de fazer coisas bonitas, normalmente imagens, para divulgar produtos e empresas. A verdadeira definição do que é design vai muito além disso.

É claro que o design empregado na comunicação visual e identidade corporativa das empresas é um dos que chama mais nossa atenção, seja na hora de encontrar exemplos de logotipo para empresas para apresentar para a diretoria ou mesmo para algo simples como fazer cartão de visita.

Mas é importante que fique claro que o design está presente em diversos outros processos dentro de uma organização. Para criar embalagens diferentes e criativas, por exemplo. Neste caso o designer irá muito além de desenhos e formas, mas terá que pensar em materiais mais adequados, custos de produção, tipo de impressão, funcionalidade para o consumidor, possibilidade de estocagem e empilhamento, atratividade e destaque no ponto de venda, resistência ao transporte, facilidade de abertura pelo consumidor e até em desenhar uma embalagem maior para guardar as menores durante a logística.

Afinal, o que é o design senão a arte e a ciência de encontrar a melhor solução para a concepção de um produto ou serviço?

Nesse contexto, fica claro como o design pode interferir positivamente em diversos aspectos de uma empresa.

O que é design?

Separamos uma definição menos poética que a anterior para você, retirada de um dicionário (Aurélio) e adaptada:

Design é a concepção de um projeto ou modelo e seu planejamento, também pode significar de forma restrita: desenho industrial, desenho de produto e programação visual.

Portanto, desta definição, podemos retirar alguns campos importantes do design:

  • Concepção de projetos.
  • Planejamento.
  • Criação de produtos (e serviços).
  • Design na comunicação.

Mas, como você já percebeu, fica difícil definir o que é design de uma forma tão fria.

Realmente, por se tratar de uma disciplina que congrega tanto elementos técnicos e científicos com apurado senso estético e artístico, o design acaba se tornando um campo de estudo apaixonante e de aplicação ampla. Vamos ver algumas características que fazem do design algo tão importante para qualquer organização:

Principais características do design

  • Design é a busca da melhor solução, do início ao fim de um projeto.
  • Design é um processo extremamente criativo.
  • Um design adequado sempre trará qualidade para um produto, serviço ou projeto.
  • Design e inovação são irmãos inseparáveis, quase siameses…
  • O design busca atender necessidades concretas das pessoas, com funcionalidade, custo acessível, bom-gosto e sustentabilidade financeira e ambiental.
  • O design se aproveita de oportunidades de mercado para tornar projetos viáveis.
  • Um bom design traz mais qualidade de vida para as pessoas.

Outra característica importante do trabalho de design é enxergar a relações potenciais entre aquilo que aparentemente é desconexo, integrando materiais, tecnologias, ideias, técnicas, metodologias e outros elementos de modo a criar algo novo a partir do rearranjo de recursos já existentes.

O design na sua empresa

Para entender melhor o que é design, resumimos a maneira como ele atua no ambiente, no desenvolvimento de produtos e serviços e na comunicação de sua empresa:

A organização do ambiente de trabalho, e principalmente de vendas, se beneficia fortemente do design, que organiza fluxos de forma prática e segura. O destaque vai para os pontos de venda, onde além de funcional, o design deve ser esteticamente atraente, atender as necessidades do consumidor e ainda estar de acordo com a identidade visual da marca.

Da mesma forma, na hora de desenvolver produtos e serviços, o design contribui fortemente, atendendo as demandas do mercado dentro das possibilidades de recursos que a empresa dispõem, para entregar o melhor custo benefício ao público, com criatividade inovação.

Quanto à comunicação, o design deve saber traduzir o posicionamento da empresa e seus diferenciais de uma forma adequada à linguagem do público-alvo, construindo identidade com a marca e agregando valores intangíveis aos produtos e serviços do negócio. Tudo isso fazendo uso de cores, formas, símbolos e tipografias que comporão todos os materiais de comunicação da empresa, do logotipo ao cartão de visitas.

 

Captura de Tela 2016-05-29 às 23.51.29

Workshop – os 9 tipos do eneagrama

Eneagrama tem tudo a ver com gente: naquilo em que parecemos ou em que nos diferenciamos, e consequentemente naquilo em que nos faz ficar juntos ou que nos afasta.
Eneagrama é um sistema que descreve nove diferentes estratégias de sobrevivência que todo o ser humano se utiliza para estar no mundo. Profundas e precisas, as descrições dessas estratégias impressionam por revelarem nossas motivações internas, padrões de pensamento e crenças instaladas. Conseguiremos identificar o que automaticamente assusta, retrai e afasta ou incentiva, aproxima e une cada tipo de pessoa. Com isso, saberemos melhor maneiras de nos comunicar com as pessoas que nos rodeiam, facilitando cooperação mútua.
Voltada à todos aqueles que trabalham com desenvolvimento humano, sejam líderes, gestores, profissionais liberais, pesquisadores, estudantes, médicos, comunidades ou àqueles que simplesmente desejam ampliar o conhecimento sobre pessoas que administram ou atendem, e pessoas na busca do autoconhecimento em geral.
As pessoas que entram em contato com o Eneagrama pela primeira vez (leia mais no hotsite http://www.channelcoaching22.com/#!workshop/c19m1)

Um pouco da história do Eneagrama
A palavra Eneagrama deriva das palavras gregas Ennea (nove) e gram (algo escrito ou desenhado) e se refere aos nove pontos do modelo do Eneagrama.
Várias partes do Eneagrama foram articuladas por Gurdjieff no século passado, na década de 30, pelo boliviano Oscar Ichaso desde a década de 50 e pelo chileno Cláudio Naranjo na década de 70, quando começou a ensinar o sistema na Califórnia.

O Eneagrama hoje
O Eneagrama já conta com facilitadores e pesquisadores em todo o mundo como Helen Palmer, David Daniels, Don Riso, Russ Hudson, A. H. Almas, Sandra Maitri, que integram um vasto cenário de institutos, formações, treinamentos, livros e publicações. É considerado internacionalmente como um dos instrumentos contemporâneos de maior riqueza, precisão e eficácia para o desenvolvimento humano. É usado em várias aplicações e disciplinas, tais como educação, artes, medicina, psicoterapia, entretenimento, negócios.
Nos negócios, um grande número de organizações vem usando o Eneagrama em seus programas de treinamentos como gestão de pessoas, comunicação, liderança, gestão de conflitos, planejamento estratégico, formação de equipes.

Conteúdo do Workshop – carga horária de 19 horas
Será feita uma introdução na sexta-feira muito importante, que envolve a compreensão de alguns aspectos teóricos básicos tais como Inteligência Emocional, a ética do Eneagrama, as tríades Instinto, Emoção, Intelecto e o Mapa da Psique. Desta forma nutriremos os participantes para que tenham a melhor assimilação possível dos Nove Tipos do Eneagrama, que serão apresentados ao longo de todo o workshop por meio de exposição oral e visual, apostila com espaço para anotações individuais e algumas dinâmicas.
Nessas dinâmicas você terá a oportunidade de enxergar seus padrões e os de pessoas com quem convive através de compartilhamentos voluntários.
Algumas palestras presenciais introdutórias com o título O Eneagrama foram ministradas desde dezembro/15 até abril/16. A partir de maio/16, passa ao formato de webinário gratuito. É recomendável que você venha para o workshop com essa base de fundamentos assimilada para que possa ter um aproveitamento ótimo. Ao preencher e enviar seu formulário de inscrição você receberá um link para assistir ao webinário introdutório.

Datas
03, 04 e 05 de junho
Programação
Início: sexta-feira, dia 03/06 – das 19h00 às 22h00
Sábado, dia 04/06 – das 09h00 às 12h00 e das 13h00 às 18h00
Domingo, dia 05/06 – das 09h00 às 12h00 e das 13h00 às 18h00

Localização
Chácara Quinta da Boa Vista – continuação da Rua Capitão Luís Brandão s/n – Vila Vista Alegre – São Carlos – SP
Mapa no hotsite

Facilitadores

Eduardo Barreto
Diretor da Channel Coaching e Consulting
www.channelcoaching22.com
Consultor bilíngue e Instrutor de Eneagrama nas áreas de Liderança, Comunicação, Team Building, Inteligência Emocional, Feedback e Gestão de Conflitos em empresas como Facebook, Market Data, SaoParking (Camargo Correa), AlmapBBDO, Balaska Equipments, FireEye Inc., Produban (Grupo Santander), BMF Bovespa, Cisco Systems, Evonik Industries
Professor Associado de Eneagrama, certificado por Helen Palmer e David Daniels
Sócio fundador da International Enneagram Association (Chapter Brasil)
Coach com foco no Coaching Executivo e Pessoal
Membro da ICF – International Coaching Federation (USA)
Coach Certificado pelo Instituto EcoSocial (ACTP-ICF)
Coach Executivo e Pessoal certificado pelo ICC – Integrated Coaching Institute (ACSTH – ICF).

Yara Santucci
Diretora da Cedro Execuções e Sustentabilidade
www.facebook.com/cedrosustentabilidade
Empreendedora por natureza, vem reunindo experiência, aprendizado e muita visão sistêmica trabalhando intensamente desde 1994 em seu escritório de arquiteura e computação gráfica até o momento atual como consultora em soluções sustentáveis no ambiente construído.
Formação Completa em Eneagrama, Centro de Desenvolvimento da Inteligência e da Intuição, ministrado por Amrit Racily
Especialista e Consultora ANAB-IBN em Arquitetura Sustentável, Bioecológica e Bioclimática no ambiente doméstico, educacional e corporativo
Arquiteta Urbanista e Paisagista pela FAUMackenzie, realiza projetos de arquitetura, interiores e paisagismo, residenciais, comerciais e institucionais envolvendo gestão de projetos e metodologia de trabalho.
Formação em Feng Shui Tradicional, Método Ba Zhai, Sociedade Taoísta do Brasil

Investimento

Até 27 de maio:
R$300
R$250 para estudante

A parir de 28 de maio:
R$350
R$300 para estudante

Inclui coffee-breaks e apostila.
Será fornecido um certificado digital para quem cumprir integralmente a carga horária.
No ato de depósito poderá ser descontado do valor da inscrição a quantia correspondente paga pelos participantes à palestra introdutória assistida em 10/dez/15, 25/fev/16, 10/mar/16 ou 14/abr/16. Informaremos ao inscrito o valor exato final por e-mail.

Formas de pagamento
1. Total à vista no depósito de inscrição
2. 50% no depósito de inscrição e 50% no primeiro dia do workshop (03/06), pagamento em cheque ou dinheiro.

Inscrições
http://goo.gl/forms/1S2iKU5sx6

Alimentação
Deliciosa alimentação preparada e servida na Chácara Quinta da Boa Vista:
Coffee-breaks – 5 serviços (noite de sexta, manhã e tarde de sábado e domingo) – Incluso
Almoço – 2 serviços (sábado e domingo) – R$30/almoço pagos à Quinta da Boa Vista
Cardápio: consulte hotsite

Mais informações
Hotsite: http://www.channelcoaching22.com/#!workshop/c19m1
E-mail: [email protected]
Whatsapp: 11 99278.2181 (operadora Claro) – Yara

artigo_95667trabalho

Em tempos de crise, as empresas se vêem obrigadas a selecionar apenas os funcionários mais essenciais para a sua sustentabilidade. Confira aqui como ser um deles!

Em nosso país, as taxas de desemprego têm se elevado vertiginosamente. O motivo é basicamente simples: diante da crise econômica, as empresas se vêem obrigadas a abrir mão de boa parte de seus recursos humanos e selecionar os funcionários mais essenciais para a sua sustentabilidade. Na realidade, os profissionais mais cobiçados pelas empresas possuem em comum certas características especialmente necessárias nos momentos mais difíceis. Veja aqui como se tornar um deles:

Ética em primeiro lugar: Seja conhecido como alguém que sempre cumpre prazos e horários, que evita participar de fofocas e preza pela honestidade e correção. Decida ser absolutamente metódico nessas questões, e em pouco tempo esse será um hábito que lhe conferirá notoriedade positiva.
“Antes uma característica básica de todos, hoje a ética no Brasil passou a ser um diferencial” – Roberto Justus

Seja confiável: Quando for solicitado a cumprir alguma tarefa, realmente comprometa-se e entregue o serviço completo e bem-feito. Não se acanhe de pedir suporte ao solicitante, utilizar a ajuda dos colegas, inclusive de outros setores, e, se for necessário, solicite um prazo maior. Enquanto não finalizar, mantenha o solicitante a par do andamento e nunca, sob qualquer hipótese, retorne sem resultados, nem que seja um relatório explicando (e comprovando!) os motivos da não possibilidade de realização do que foi pedido.
“Por mais humilde que seja, o trabalho bem feito inspira uma sensação de vitória” – Jack Kemp

Jogue com o time: Abuse do networking, dentro e fora da empresa onde você trabalha. Não seja mesquinho, procurando os colegas apenas quando precisar de ajuda, mas mostre-se generoso, seja sinceramente interessado no sucesso de todos. Ajude as pessoas e conquiste a confiança delas. Forme alianças do tipo ganha-ganha e alimente constantemente essas parcerias. Acredite, elas farão muita diferença no seu desempenho profissional em curto, médio e longo prazo.
“O talento vence jogos, mas só o trabalho em equipe ganha campeonatos” – Michael Jordan

Exercite a sua inteligência emocional: É possível que tenha que vivenciar, eventualmente, ocasiões nas quais o atrito parecerá inevitável. Ao invés de perder as estribeiras, utilize a situação difícil para adotar um padrão de reação premeditado, que lhe favoreça profissionalmente – mantenha-se sempre frio, buscando propor soluções mediadoras e inteligentes. Nesses momentos, quando pessoas medianas não poderiam se controlar o suficiente, você conseguirá se destacar definitivamente. Se em alguma exceção você não conseguir mesmo manter a calma e o raciocínio, prefira uma rápida retirada estratégica, mas jamais se deixe sequestrar pelos seus sentimentos no ambiente profissional.
“Não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito” – William Shakespeare

Quer mais conteúdo exclusivo de Administração e Negócios?
Torne-se um Administrador Premium
Proatividade não é clichê: É sinônimo de sucesso pessoal! Ser proativo envolve enxergar além, pensar fora da caixa. Realizar esse objetivo de fato, em meio à dura realidade do dia-a-dia, pode ser bastante trabalhoso. Você terá que analisar ângulos diferentes do habitual e colocar a criatividade em prática, balanceando sua atenção entre cada inovação e todas as suas atividades rotineiras, sem deixar a peteca cair! Toda essa dedicação não apenas atrairá a atenção dos seus empregadores, mas também desenvolverá suas habilidades, sua automotivação e também fortalecerá sua autoconfiança. Esse ganhos transcendem, em muito, uma eventual expectativa de reconhecimento profissional – cada sucesso, cada aprendizado e cada experiência fará parte de você e de sua história para sempre. Então, não deixe passar toda oportunidade de se superar, e faça isso primeiramente por você mesmo.
“Eu não tenho ídolos. Tenho admiração por trabalho, dedicação e competência” – Ayrton Senna

Mantenha-se em movimento: Esteja presente nas redes sociais voltadas para o mundo profissional – faça um perfil no Linkedin, tenha um currículo Lattes, desenvolva projetos, escreva artigos… Ou seja, não pare! Participe de eventos relacionados a sua área, esteja presente em seminários, cursos de reciclagem e esteja sempre aprendendo e compartilhando conhecimento. Não perca chances de se desenvolver diante do mercado, incrementando cada vez mais a sua competitividade.
“Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados” – Mahatma Gandhi

Embora a recessão seja uma ocasião extremamente desgastante e certamente indesejada, esse momento pode, sob certo ponto de vista, forçar um exercício organizacional benéfico e construtivo através dessa “seleção natural”, além de se transformar numa oportunidade de crescimento e de reconhecimento para os profissionais que conseguirem se destacar, realmente fazendo a diferença nas empresas que tiveram a boa sorte de contratá-los.

“No meio da dificuldade, encontra-se a oportunidade” – Albert Einstein

 

texto por Paula Vaz

 

IMG_6821

Animais de estimação no escritório, aqui na P2 temos o Shitzu PETIT ha 05 anos.

W. Clement Stone disse uma vez:: “você é um produto de seu ambiente. Então, escolha o ambiente que o levará a desenvolver melhor seu objetivo. As coisas em volta estão ajudando ou estão atrasando o seu sucesso?”

Isso é o que gerentes de instalações e gerentes de escritório em todo o mundo estão se perguntando sobre os espaços de escritório que organizam. Como eles podem configurar um espaço que não seja apenas um lugar para abrigar todos os funcionários, mas seja uma ferramenta estratégica para produtividade, colaboração e crescimento?

O que torna um ambiente de escritório excelente varia de uma empresa para outra. Muito disso tem a ver com a cultura da empresa e como funcionários gostam de trabalhar. E o ambiente de escritório certo pode estimular os funcionários a terem as condições e a motivação para enfrentar projetos grandes e importantes (como obter uma certificação de inbound, quem sabe?).

Quer se inspirar em exemplos de como seu local de trabalho pode ser? Confira o post abaixo.

Animais de estimação no escritório

Permitir animais de estimação no escritório aumenta ou diminui a produtividade? Esse é um assunto muito debatido, mas existem muitas empresas que permitem que as pessoas tragam seus animais de estimação para o trabalho e identificam muitas vantagens nisso: melhora o equilíbrio de trabalho com a vida pessoal, serve como um catalisador social e ajuda as pessoas a desestressarem.

Por exemplo, permitir que as pessoas tragam seus bichos de estimação para o trabalho significa que essas pessoas não precisam se preocupar em deixar o animal em casa sozinho o dia todo ou pagar alguém para levá-lo para passear. Assim, eles podem se concentrar mais no trabalho e ser mais produtivos até mais tarde do que ficariam normalmente.

Animais de estimação também são um grande facilitador no combate ao estresse e na socialização entre os funcionários. Jennifer Williams, que gerencia as operações em uma agência de publicidade de Nova York, disse que ter cães no escritório ajuda a “criar um momento de separação do caos do dia”.

Na verdade, um estudo da Universidade da Virginia Commonwealth descobriu que os funcionários que trazem os cães para o trabalho produzem níveis mais baixos de cortisol, o hormônio do estresse. No estudo, ao longo do dia de trabalho, os funcionários que trouxeram os cães observaram uma redução de 11% nos níveis de estresse, enquanto os demais tiveram aumento nos níveis de estresse em até 70% no final do dia.

Por fim, animais de estimação no escritório, especialmente cães, proporcionam aos proprietários uma desculpa para fazer uma pausa, o que está comprovado que restaura e aumenta a produtividade.

extraído Hubspot

por Lindsay Kolowich

 

post-it-war1

Agências promovem batalha de Post-its nas janelas de prédio em Nova Iorque

Agências promovem batalha de Post-its nas janelas de prédio em Nova Iorque
As agências da Canal Street, em Manhattan, Nova Iorque, estao se divertindo com uma ‘batalha de Post-its’ que começou com um simples ‘HI’. Isso foi na semana passada, conta o AdFreak. Desde entao, as janelas do prédio onde estao várias agências – entre elas Havas Worldwide, Horizon Media, Cake Group, Biolumina e Harrison and Star – se encheram de frases e desenhos formados pelas notas de papel colorido. “A coisa toda é tao perfeita para agências de publicidade. É colorido, juvenil, criativo e competitivo – e tem o efeito de fazer com que as janelas das agências se pareçam com escolas primárias”, brinca o site. 😉 Quem quiser acompanhar a guerra de Post-its pode procurar pelas hashtags #canalnotes e #postitwar no Twitter.

Tudo começou com um ‘OI’ despretensioso…

 

 

[INFOGRÁFICO] A PSICOLOGIA DAS CORES NO MARKETING E NO DIA-A-DIA

Queremos compartilhar com vocês a importância das cores.

Texto extraído Viver de Blog.

 

A Psicologia das Cores é muito importante no Marketing e no dia-a-dia por ser fundamental para entendermos o significado das cores e como podemos usar uma determinada cor para nosso benefício.

Cores são poderosas e influenciam diretamente produtores e consumidores. Estudos apontam que:

  • 84,7% dos consumidores acreditam que as cores de um produto são muito mais importantes do que outros fatores;
  • 93% das pessoas avaliam as cores de um produto na hora de comprar;
  • Mais da metade dos consumidores desistem de comprar um produto porque ele não tem sua cor favorita.

Pensando na importância do assunto, o Viver de Blog produziu um rico infográfico com absolutamente tudo sobre a Psicologia das Cores, o Significado e a Simbologia das Cores.

 

 

psicologia das cores

P2 , casa nova e comemorando 14 anos.

Mês de maio é mês de comemoração na caminhada da agência.

A data da abertura deu-se em 06/05/2002 e a mudança depois destes anos ocorreu em 02/05/2016

Motivo de muita excitação, comemoração, de glória pois a caminhada foi e é bastante árdua.

Faz parte desta comemoração todos que já passaram pela P2, sócios, colaboradores, clientes, fornecedores, amigos. Gratidão.

O conceito da mudança é: Estamos de casa nova. Estamos nas alturas.

No 9º andar da Torre São Paulo, no Tríade.

Conjunto 905 e 906.

Rua Passeio dos Flamboyants no 60 – em frente ao Shopping Iguatemi São Carlos.

16 3412-8012.

Em breve vamos comemorar.

Em breve um open office.

Beijos a todos

Juliana PeteanP2 Nova

Treze erros para se evitar no Facebook

1) Não crie um perfil em vez de uma página para sua empresa.

Isso parece óbvio, mas você ficaria surpreso com o número de pessoas que cometem esse erro. Antes de passar para dicas mais avançadas, vamos deixar isso claro: Os perfis do Facebook são destinados a pessoas, enquanto as páginas do Facebook são destinadas às empresas.

2) Não seja negligente ao monitorar as publicações ou comentários em sua página.

A gerente de compromisso com o cliente da JetBlue, Laurie Meacham, me disse uma vez, “as pessoas são nosso negócio e estar na mídia social é apenas uma extensão natural disso. Não é diferente das outras partes de uma empresa aérea”.

Não importa qual for seu setor, nada poderia ser mais verdadeiro que isso. O objetivo do Facebook é interagir com seus clientes e visar o público que já está por lá. (E considerando que o Facebook tem pouco menos de dois bilhões de usuários ativos, é provável que eles estejam por lá).

Ignorar comentários e interações é como dizer aos seus clientes. “não me importo com que você tem a dizer”. Para evitar isso, comece garantindo que as opções de publicação desejadas para sua linha do tempo estão ativadas. Embora algumas empresas permitam que usuários publiquem e deixe comentários em sua página sem revisão, outras preferem aprová-las manualmente e outras não permitem publicações de forma alguma.

Embora a escolha dependa só de você, recomendamos tratar sua página como uma via de duas mãos, em vez de um canal para transmitir apenas suas opiniões.

3) Não ignore pontos negativos.

E se eles reclamarem?

Você não pode impedir que as pessoas digam algo sobre sua marca, sejam coisas boas ou ruins. O que você pode fazer é responder com respeito e fornecer informações úteis. Responder não só mostra às pessoas que você está preocupado com sua satisfação, como também que você está envolvido. (Leia essa publicação para obter mais dicas para dispersar a negatividade nas mídias sociais).

4) Não deixe as metadescrições como estão.

Ao colar um link em uma publicação do Facebook, os metadados dessa publicação (uma imagem e uma curta descrição) são extraídos imediatamente. Mas isso não significa que você deve apenas pressionar “Publicar”. Em vez disso, adicione alguma cópia de publicação pertinente, como uma citação ou estatística do artigo que você está vinculando. .

5) Não publique apenas fotos.

No passado, as imagens dominavam o feed de notícias. Mas as coisas mudaram e as imagens agora têm o pior alcance orgânico de todos os tipos de publicações. O vídeo é agora o melhor tipo de publicação para alcance orgânico, graças à mais recente mudança de estratégia do Facebook em direção ao vídeo. Nós, na HubSpot, descobrimos que o melhor tipo de publicação para envolvimento são vídeos e publicações de link que contém uma imagem de visualização grande (484 x 252).

Em vez de insistir em um ou dois tipos de conteúdo, experimente um pouco mais. Publique links com uma cópia de uma palavra e outros com cópias de vários parágrafos. Encontre o que funciona melhor para seu público e lembre-se de que ele está sempre mudando, portanto teste permanentemente.

6) Não crie publicações muito grandes.

Repetindo, testar o tamanho da publicação é a melhor maneira de medir o que seu público gosta. O tamanho ideal das publicações na linha do tempo do Facebook varia de uma empresa para outra. Para algumas, publicações mais longas e informativas no Facebook têm melhor desempenho. Para outras, como a BuzzFeed, as curtas funcionam perfeitamente.

Embora seja importante experimentar para ver o que gera melhor resposta do seu público, temos algo a dizer: há alguma evidência concreta de que publicações menores geram mais envolvimento. Jeff Bullas descobriu que publicações de marcas de varejo com menos que 80 caracteres recebem 66% mais envolvimento que publicações mais longas. Publicações especialmente concisas (1 a 40 caracteres) geram o maior envolvimento.

7) Não publique imagens de qualquer tamanho.

Imagens pixeladas, confusas, ou difíceis de ler não só frustrarão os usuários, como também darão uma má reputação a você.

O Facebook não tem só dimensões de imagem específicas para fotos de perfil e fotos de capa. (Embora elas também sejam importantes). Ele também tem dimensões de imagem ideais para as imagens publicadas em sua linha do tempo, aquelas utilizadas em publicações patrocinadas, anúncios na barra lateral e muito mais.

8) Não publique “iscas para clique”.

Ao vincular uma página web em uma publicação no Facebook, o Facebook agora examina quanto tempo as pessoas passam nessa página para medir sua utilidade. A lição? Não publique títulos que sejam “iscas para cliques” que não oferecem aquilo que prometem.

Para determinar que tipo de conteúdo os usuários preferem ver em seus feeds de notícias,o Facebook conduziu uma pesquisa e revelou que 80% do tempo, as pessoas preferiam títulos que as ajudavam a decidir se elas queriam ler o artigo completo antes de clicarem.

Por isso, se você estiver procurando atender às necessidades do seu público no Facebook, considere publicar links para artigos de blog claros e informativos. Quando o título define a expectativa correta que um usuário tem com relação ao conteúdo, é mais fácil para eles verem o valor em sua oferta e permanecerem na página para ler o artigo. Quando isso não acontece, eles rejeitam a página e o Facebook toma nota.

9) Não suponha que deva publicar apenas durante o horário comercial.

Um estudo da TrackMaven descobriu que publicações após o expediente (17h00-01h00) obtinham 11% mais interações que aquelas publicadas durante o dia (8h00-17h00). Essas publicações após o expediente também obtiveram 29% mais interações que aquelas publicadas antes do trabalho (1h00 – 8h00).

E os finais de semana? O estudo da TrackMaven descobriu que as publicações de domingo tiveram 25% mais curtidas, compartilhamentos e comentários que as publicações de quarta-feira, embora menos de 18% das publicações tenham sido feitas nos finais de semana.

A lição aqui é publicar em horários variados, incluindo tardes, noites e fins de semana. Isso é especialmente importante para empresas com públicos internacionais, cujos fãs estão acordados em diferentes horários do dia.

10) Não publique com muita frequência (mas publique regularmente).

Sim, você deve publicar regularmente para manter seu público envolvido, mostrar que você está presente e prestando atenção e responder a perguntas e dúvidas.

No entanto, o que você não quer fazer é sobrecarregá-los com um monte de publicações. Recentemente fizemos uma publicação de blog resumindo a pesquisa que fizemos sobre a frequência que as empresas deveriam publicar no Facebook (em Inglês). Ela inclui referências de frequência de publicação por setor e empresa, baseando-se nos dados do Facebook de mais de 13.500 clientes.

Descobrimos que: empresas que são seletivas com suas publicações (ou seja, investem seu tempo paracriar um número menor de publicações de alta qualidade para Facebook em vez de muitas publicações para Facebook têm melhor desempenho.

11) Não se esqueça de experimentar com direcionamento e anúncios.

Como resultado da recusa recente na pesquisa orgânica no Facebook, muitas empresas estão se voltando para a publicidade no Facebook para capturar a atenção de um público mais qualificado. Com a publicidade no Facebook, é possível visar pessoas que visitaram seu website, usaram seu aplicativo, ou se inscreveram em uma lista de e-mails. Você também pode visar públicos similares ou “parecidos”, ou configurar campanhas destinadas a obter curtidas em sua página.

Porém, você não pode só jogar dinheiro na publicidade no Facebook e esperar que tudo funcione. Isso só irá funcionar se você for esperto, o que significa experimentar e ajustar seu plano de publicidade para descobrir o que funciona.

12) Não se esqueça de quais contas você está publicando.

O feed de notícias do Facebook terá basicamente a mesma aparência se você estiver conectado com sua conta pessoal ou a conta da sua empresa, fazendo com que seja fácil para os administradores de página se esquecerem de qual estão publicando. Você não deve responder os comentários da sua conta pessoal quando quiser responder da conta da sua empresa e vice-versa.

No entanto, a verdade é que acidentes acontecem. De fato, uma vez, uma de minhas colegas publicou acidentalmente uma foto de sua barriga de grávida da conta do Twitter da HubSpot.

13) Não tenha várias contas do Facebook.

O conselho se aplica às suas atividades pessoais e profissionais no Facebook.

No lado pessoal, há dois motivos para não ter duas contas. A principal é que o Facebook não permite que os usuários tenham duas contas pessoais, é contra seus Termos de Serviço. Se eles descobrirem que alguém tem duas contas, eles fecharão ambas. Mesmo se não fosse contra os termos, ter duas contas pode ser difícil de manter. Você tem conteúdo suficiente para completar sua presença? Onde faria uma linha dividindo as duas? Qual conta você mostraria a seu amigo que trabalha em seu setor? Em vez de ter que delinear entre duas partes de sua vida, você deve aproveitar as configurações de privacidade robustas do Facebook.

No lado profissional, o Facebook não faz restrições do tipo. Você pode criar várias páginas para sua empresa sem que a rede social perceba. Mas, você deveria?

Para a maioria das empresas, não recomendamos. Com o pouco tempo que você tem disponível para empregar no Facebook, por que ficar tão disperso apenas para manter várias páginas?

Além disso, há muitos ótimas opções para você. Primeiro, você pode aproveitar as opções de direcionamento do Facebook — para que não seja necessário enviar atualizações para certos segmentos do seu público. Por isso, em vez de criar uma página para um segmento de sua audiência, é possível publicar conteúdo ajustado para ser mostrado apenas a eles.

Depois, se você tiver um grande público que vive no mundo inteiro, você pode pensar emimplantar uma página global. Se quiser ter uma página global configurada, é necessário entrar em contato diretamente com o Facebook. (Grande revelação: será necessário possuir um grande orçamento em anúncios no Facebook para isso acontecer).

Em resumo: simplifique as coisas. Não crie mais contas e páginas do que são necessárias.

 

fonte: Hubspot

O que são arquétipos e qual a influência deles na publicidade? por Andrea Verrone

O que são arquétipos e qual a influência deles na publicidade?

Oferecer para o cliente a melhor experiência diante de um produto, por exemplo, pode exigir mais do que simplesmente oferecer qualidade. Hoje em dia empresas investem tudo em algo que ofereça acima de tudo experiência positiva, conceito e qualidade de vida para seu público alvo.

Aposto que você conhece diversas empresas que lhe oferecem o mesmo produto ou serviço, mas se agora eu te perguntar entre todas elas de qual você mais gosta, garanto que você vai responder aquela que te ofereceu não só qualidade, mas também uma  experiência diferente, que talvez você nunca tenha tido antes ou até mesmo já tenha experimentado quando era mais nova.

Tudo isso faz a diferença na opção do cliente e existem diversas formas de se alcançar. E a psicologia através de conceitos pode ser uma das opções. Por exemplo os arquétipos, você já ouviu falar deles?

O que são arquétipos?

 

De acordo com o criador, o suíço Carl Gustav Jung, arquétipos são conjuntos de “imagens primordiais” originadas de uma repetição progressiva de uma mesma experiência durante muitas gerações, armazenadas no inconsciente coletivo.

Ou seja, são figuras que todos nós temos em nosso imaginário, algumas desde crianças, outras criadas ao longo da vida, que dão verdadeiro sentido para todas as histórias que passamos de geração em geração e servem para colocar para fora tudo que existe em nosso inconsciente.

Assim os arquétipos nos ajudam, de certa forma, a satisfazer algumas de nossa principais necessidades, como a de realização, independência e estabilidade.

E hoje, mais do que nunca, diversas empresas utilizam desse estudo para criarem marcas fortes, diante de determinados seguimentos, que atraiam seu público desejado e se permitam passar para eles o que eles realmente esperam.

E não pense você que somente algumas empresas ou marcas utilizam dos arquétipos, por que hoje, se você deseja se tornar uma empresa de sucesso, concorrer à altura com as concorrentes e além do mais dar uma personalidade a sua empresa, deve ter em mente quais arquétipos seu público alvo se encontra e desde já implantar essas necessidades em sua empresa.

Somos o tempo inteiro, até mesmo quando consumimos produtos ou serviços, influenciados pelos arquétipos, não só que somos influenciados mas também os arquétipos fazem parte de nossa vida e psicológico, então nós começaremos a partir de hoje um estudo sobre todos os arquétipos mais utilizados no meio publicitário, como eles são aplicados e quais marcas que aparentam estar utilizando um tipo de arquétipo.

Por questão de ser muitos nós falaremos de um arquétipo em cada artigo e colocaremos durante a semana, além disso você pode acompanhar por este artigo pois colocaremos o link para as respectivas matérias nas palavras abaixo a medida que forem colocadas no ar:

  1. Arquétipo do Governante
  2. Arquétipo do Amante
  3. Arquétipo do Sábio
  4. Arquétipo do Mago
  5. Arquétipo do Fora da Lei
  6. Arquétipo do Cara Comum
  7. Arquétipo do Prestativo
  8. Arquétipo do Inocente
  9. Arquétipo do Criador
  10. Arquétipo do Bobo da corte
  11. Arquétipo do Explorador
  12. Arquétipo do Herói
  13. Eixos de motivação dos Arquétipos
  14. O que os arquétipos juntos podem representar para o consumidor

Espero que gostem da série aproveite e guarde com você este simples infográfico onde relaciona todos eles, seu nome e lema principal.

5 ferramentas e táticas para o engajamento mobile, segundo a IBM

IBM Marketing Cloud aponta as melhores práticas para interagir e se relacionar com o consumidor considerando o crescente uso das interfaces móveis, como smartphones e tablets

A criação de um novo algoritmo mobile-friendly pelo Google, no ano passado, serviu para derrubar qualquer crença, entre empreendedores, de que a elaboração de estratégias voltadas para smartphones, tablets e tecnologias vestíveis ainda podia ser adiada. Embora seja inegável o impacto dos devices móveis nos negócios, grande parte das empresas ainda se esforça para dominar a nova interface de comunicação e relacionamento com os consumidores.

Para melhor aproveitar o ambiente, os profissionais de Marketing precisam entender que o mobile é mais que uma ferramenta; é um modo de vida, segundo ressalta a IBM Marketing Cloud. O termo representa mais do que um simples device e inclui uma série de canais, como e-mail, SMS, mídias sociais, web, entre outros. Investir em estratégias específicas para os gadgets ajuda a gerar valor para os consumidores, fidelizá-los e aumentar as receitas da companhia. Conheça a seguir cinco táticas e ferramentas para promover o engajamento mobile, de acordo com a IBM:

1. E-mail mobile
Mais de 50% dos e-mails são hoje abertos em devices móveis, sendo esse um dos principais usos dos smartphones e tablets. Isso faz com que seja tão importante ter mensagens personalizadas e com conteúdo interessante, quanto fáceis de ler e navegar independente do dispositivo em que são abertas. Para isso, é preciso adotar um design responsivo, que se utilize de ícones e botões de call to action maiores, além de imagens e fontes ampliáveis.

As preocupações não devem ser apenas técnicas. Muitas empresas já levam em consideração outras variáveis, tais como o contexto de visualização, a escolha do produto e dos processos de pagamento, contando com a abertura da mensagem em um dispositivo móvel. Outro bom caminho é incluir nos e-mails um botão de “lembrar-me depois”, que, ao clicado, agenda o envio de outra mensagem para o consumidor com o produto ou a informação que lhe chamou a atenção, de modo a permitir o acesso em outro momento.

2. Aplicativo integrado
A expectativa do mercado é de que, em 2020, os consumidores gastem mais do que US$ 101 bilhões em APPs. Para que a marca faça o melhor uso desse recurso, entretanto, ele não deve ter limitações em relação às funcionalidades ou à integração com o site. Para que as estratégias de Marketing no canal tenham sucesso, é importante que os dados de tráfego e dos usuários mobile também sejam coletados e analisados, para gerarem insights e abrirem caminho para uma experiência personalizada.

Outro passo é definir claramente quais são os objetivos da marca com o aplicativo: fazer prospects e clientes se engajarem com um conteúdo ou fazer uma oferta? A resposta a essas perguntas direcionará à melhor estratégia geral. Para qualquer uma das finalidades, o investimento em uma comunicação e um relacionamento que integre os mais diversos canais de contato com os usuários é fundamental.

3. Mensagens SMS
As mensagens de SMS são uma ferramenta indispensável ao plano de Marketing mobile. A taxa de abertura é de mais de 90% – até oito vezes superior aos resultados com e-mails -, e a leitura das mensagens ocorre em média cinco segundos após o envio. Isso facilita o disparo do texto correto no momento ideal para o consumidor escolhido. Ainda assim, esse recurso deve ser usado com parcimônia para que o cliente ou prospect não tenha uma reação negativa ao envio.

As mensagens neste canal precisam ser curtas, simples e amáveis. Elas são ideias para passar instruções fáceis ou comunicar datas de expiração de ofertas, por exemplo. O texto precisa ser elaborado especificamente para a ferramenta, em vez de ser apenas mais um meio de repetir o que já foi disparado por outras vias. Mais uma vez, as ações precisam estar integradas com todos os demais pontos de contato do consumidor com a empresa, servindo para aumentar receitas, reduzir custos e se relacionar com cliente fiéis.

Os resultados serão melhores se o canal estiver integrado às campanhas automatizadas. Assim, as respostas tendem a acontecer, com a vantagem de o SMS proporcionar facilmente o diálogo entre cliente e marca.

4. Redes sociais
Mais de 80% dos usuários do Twitter acessam o site por um device móvel, e 91% dos jovens de 18 a 29 anos que têm um smartphone conectam-se às redes sociais. Entre as pessoas com mais de 50 anos, a taxa tampouco é desprezível: 55%. Logo, tornou-se pouco razoável pensar a presença nessa mídia sem considerar o acesso móvel ou desenhar a estratégia mobile e desconsiderar as redes sociais.

Para que o conteúdo social seja adequado e compartilhável em smartphones e tablets, ele precisa respeitar a brevidade que esses sites pedem. As imagens e os gráficos também precisam funcionar nas telas menores. Mais uma vez, o canal deve estar integrado às ferramentas de captura de dados e de análise do comportamento do usuário. Ele também deve estar integrado aos demais pontos de contato. As redes sociais podem ter, por exemplo, SMS opt-ins e chamadas para baixar o APP.

É importante permitir o login por meio das redes sociais nos outros canais de relacionamento, reduzindo o tempo gasto pelos usuários com cadastro.

5. Localização
Soluções baseadas na localização dos usuários representam a inovação mais recente no Marketing mobile e oferecem diversas oportunidades para empresas se conectarem com consumidores em trânsito. As ações desse tipo se baseiam na localização física dos clientes e nas preferências deles. Os dados gerados com base na posição geográfica dos usuários ao longo do dia e do mês também podem proporcionar insights valiosos.

As ofertas e o envio de conteúdos alcançam um novo patamar com essa tática, pois chegam ao destinatário quando ele está estrategicamente posicionado. Algumas empresas já estão utilizando beacons e ferramentas similares para disparar mensagens no exato momento em que um prospect ou um cliente atravessa uma porta ou um corredor. Esse movimento representa uma verdadeira convergência dos mundos virtual e real.

Um desafio é vencer os receios das pessoas em relação à invasão de privacidade. Por isso, é importante que marcas expliquem exatamente os benefícios que os clientes terão caso autorizem o recebimento das mensagens direcionadas com base em sua localização geográfica. E para evitar irritar os usuários, deve-se considerar uma frequência de envios que limite o conteúdo disparado para um indivíduo durante um período específico.